23 outubro 2007

Se for dono de mim...


Há dias em que ouvimos frases que mexem bem cá dentro e parece que se abrem novos mundos... e vejo-me ainda às voltas com uma ideia que tenho a intuição que pode significar muito do modo como agora vivo.

Numa aula, sai no final de uma discussão: "Tu tens uma vida, não és a tua própria Vida".

E que sei eu dos infinitos acontecimentos que surgem na minha vida e dos quais não tenho consciência? E qual é a verdadeira dimensão dos meus problemas? E a profundidade das minhas alegrias?

Há uma história desenhada para mim, da qual tenho poucos momentos de consciência... vou tentando, e errando muitas vezes... e encontrando espaços de certeza, como árvores novas e imensas num jardim percorrido muitas vezes. Há uma nova dimensão que me chama a olhar para o desconhecido e encontrar-me numa pequenez cada vez mais forte.

3 comentários:

Anónimo disse...

Gostei muito da reflexão
que hoje partilhaste no blog.

Já escutaste a música
don't give up?
Nestes dois sites,
podes encontrá-la.

www.youtube.com
www.canada.com

Espero que gostes!

Com amizade

Antonio Valerio, sj disse...

ola! sim, ja fui ver a musica! não conhecia e gostei muito! não é comum encontrar este tipo de letras e musica... faz pensar e pode ser uma mensagem bonita para quem esteja a precisar de ouvir isso e tornar isso presente na Vida! Obrigado! beijinho...

Diogo Costa disse...

"Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
e em que o sono parecia disposto a não vir
fui estender-me na praia sozinho ao relento
e ali longe do tempo acabei por dormir

Acordei com o toque suave de um beijo
e uma cara sardenta encheu-me o olhar
ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar

Sou a estrela do mar
só a ele obedeço, só ele me conhece
só ele sabe quem sou no princípio e no fim
só a ele sou fiel e é ele quem me protege
quando alguém quer à força
ser dono de mim

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
mas sei que por instantes deixei de pensar
uma chama invisível incendiou-me o peito
qualquer coisa impossível fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
inscrevemos no espeço um novo alfabeto
já passaram mil anos sobre o nosso encontro
mas mil anos são pouco ou nada para a estrela do mar"
Jorge Palma

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates