24 novembro 2006

Tesouros

Fazer uma viagem dentro de nós mesmos é um mundo de descobertas.
Passear tranquilamente pelo nosso coração, fazendo perguntas a quem passa por nós, maravilhando-nos com os quadros do passado, descansando em tantos lugares de abrigo, onde sempre existem fontes de água fresca, sobretudo quando os nossos passos estão cansados.

Existem dentro de nós tantos caminhos percorridos, alguns tão difíceis, que parece impossível que um dia fomos capazes de passar por eles, autênticos desertos.

O que mais me maravilha é uma infinidade de caminhos dos quais não se vê o fim, tantos e tão diversos. Uns que nos levam para o fundo da nossa terra, outros que se perdem longe no céu. E há uns que parecem tão bonitos e tão fáceis e outros que me chamam irresistivelmente a percorre-los, esses mais desanimadores à partida.

Fazer uma história dos meus caminhos é perceber que os mais bonitos não são necessariamente os que levam as grandes paisagens da Vida. E alguns de tão áridos que foram, acabaram por ser a chegada aos locais mais importantes dentro de mim, os verdadeiros tesouros meus.

4 comentários:

Anónimo disse...

Sentir que o melhor caminho ainda está para ser percorrido, a isso chamo de esperança. Como o P.Pedro Arrupe costumava dizer..."Para o presente, Amém...; para o futuro, Aleluia!", uso as mesmas palavras...
Obrigado por tudo António, espero que estejas bem, abraço amigo em Cristo.
Tiago M.

Antonio Valerio, sj disse...

Obrigado a ti Tiago! É muito bom olhar com esta alegria para os caminhos futuros. Estou contigo. Um abraço amigo

An@ disse...

Confesso que ainda não li o post! Achei melhor não o fazer sem me deliciar primeiro com aqueles que tenho "deixado para depois", já que o tempo teima em "diminuir" ou eu em esperar que ele alargue:P

Limitei-me a olhar para o título e para a imagem! Como é óbvio, para mim, lembra-me um cântico... "Vasos de Barro" em que realmente dizemos que entregamos um tesouro em peças tão frágeis mas tão moldadas pelas nossas mãos... seremos cada um de nós?? Pode ser uma visão...

Espero que o teu vaso continue a ajudar cada oleiro, que te encontra na vida, a ter um toque especial na peça em que se vai tornar.

***forte abraço e um ENORME beijo***
Gmdt

J disse...

É verdade, gosto tanto de olhar e ver os caminhos que percorri, um texto que me tocou muito.

Um grande beijinho

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates