06 novembro 2006

Dar a Vida


Ainda estou abalado com a notícia que recebi hoje do assassinato de um jesuíta brasileiro, o P. Waldyr e de uma Leiga para o Desenvolvimento, a Idalina, na Missão de Fonte Boa, em Moçambique. E de mais um jesuíta ferido, de Moçambique.

Não consigo dizer nem pensar muitas coisas... deixar sentir a revolta pela injustiça, de não perceber o sentido destes acontecimentos. O facto é que não os conheci, mas sinto a sua morte como a perda de alguém muito querido. Porque partilho com eles o mesmo sonho e o mesmo desejo de entregar a Vida a Jesus.

E é tão fácil ter discursos bonitos sobre dar a Vida, até ao momento em que nos sentimos pequenos perante os limites, que nos tiram a existencia em situações extremas. Que nunca chegam a ser verdadeiramente queridas nem desejadas... mas que acontecem, de forma que nos tiram o alento e nos deixam sem reacção possível...

E olho para mim, para os meus desejos de ser mais de Jesus, de dar a Vida Toda. E como sou pequeno na minha oferta, em como digo com gestos, pensamentos e palavras, tantos nãos.

Há uma frase que diz: "Sangue de mártires é semente de cristãos". São duas vidas que vejo dadas assim, e que todos preferiamos que não fossem. Mas agora são caminhos e intercessões para ser mais Crist(ã)o, mais igual a Jesus, menos preocupado com o meu mundo pequeno e os meus nãos ridículos, e a pedir a força de ser Mais.

Mesmo sem perceber, olhar as minhas mãos e perguntar-me se posso tocar tudo o que a Vida mais completa me pede.

10 comentários:

Filipe Nascimento disse...

Muito proximo tou de LD ( especial/ Benguela) como jah intui em comentario ao post por ti colocado no dia 25 out...Alguém por la dizia hj que: "costuma-se dizer que Deus tem muitos sonhos para nós, mas na verdade eu acho que quem tem sonhos para DEus somos nós...(...)Confiaremos n'Ele...um abraço em Cristo

An@ disse...

É um balançar de coisas cá dentro! Imaginei o que fiz no verão e pensei "pode acontecer em qualquer lugar e a qualquer um". Pensar que por vezes, a vontade de estar com os outros por um motivo maior pode acabar assim, num segundo!

Tudo vem à ideia quando coisas destas acontecem mas... tenho a certeza que as duas vidas que se "perderam" por lá já deixaram de si, das suas mãos em Moçambique!
* * *

J disse...

Neste momento estão mais dois santinhos no Céu. Rezo para que Deus os acolha no seu colo.

Um grande beijinho

Anónimo disse...

Quem é o jesuíta português que ficou ferido? De onde era natural a Idalina? Como é que tudo aconteceu? Quando? Porquê? Como estão os jesuítas que ficaram feridos?

Coragem.

Anónimo disse...

A Idalina tinha 30 anos. Era natural do distrito da Guarda. Estava há um ano em Fonte Boa, Moçambique, integrando uma missão da ONG Leigos Para o Desenvolvimento.

Partidas com partidas incruéis.

Anónimo disse...

Penso: como seria hoje, dia 7 de Novembro, o acordar da comunidade onde estava integrada a Idalina com mais Leigos Para o Desenvolvimento e outros padres da Companhia de Jesus.

Dar a vida perdendo-a, foi o que fizeram, até ao último sopro, o padre Waldyr e a Idalina.

Antonio Valerio, sj disse...

Estes acontecimentos, apesar de nos perturbarem tanto,fazem-nos olhar para a qualidade que devemos dar à nossa vida e à nossa oferta a Deus. São exemplos como o P. Waldyr e a Lina que nos movem mais a isso. Não deve ser nada fácil recomeçar esta Missão. Rezemos pelos que ficam, pelo Ir Andrade e o Mário Almeida e pelas pessoas da Missão de Fonte Boa.

Anónimo disse...

Boa noite!

Hoje escolhi o teu post "DAR A VIDA" para "O melhor dos blogues".

É uma forma de homenagear esses missionários que deram a vida pelos pobres. Afinal, como Jesus...

Se tiveres algo a objectar, não te acanhes.

Anónimo disse...

O padre Waldyr dos Santos, 69 anos, jesuíta brasileiro, e Idalina Neto Gomes, 30 anos, portuguesa, missionária dos «Leigos para o Desenvolvimento», foram assassinados na segunda-feira, 6 de Novembro, na missão de Fonte Boa, província de Tete, em Moçambique, durante um assalto à mão armada pela 1h30 da manhã.
O padre Waldyr dos Santos foi morto a tiro e Idalina estrangulada. Outros dois missionários foram feridos durante o assalto, um aparente ajuste de contas, segundo a agência Lusa.
«Há poucos meses, numa tentativa de furto de um veículo na Missão, um dos assaltantes foi morto e acreditamos que este assalto tenha sido uma retaliação», referiu uma fonte da Polícia de Investigação Criminal (PIC) da província de Tete.
Os assaltantes usaram uma viatura com matrícula do Malawi.
Idalina Gomes era natural de Aguiar da Beira. Estava em Moçambique há um ano e depois de um período de férias em Portugal, planeava regressar à missão de Fonte Boa. Estava envolvida em projectos da área agrícola, pecuária e construção de lar para órfãos de Sida.

por José da Silva Vieira

Anónimo disse...

Inocêncio Sipoia Moyo
Quem ajudará os pobres?
Reconheço e muita a gente reconheçe a obra que estava sendo levado a cabo naquela Missão. Acho que que devemos partilhar essa dor com a Companhia de Jesus. De facto é muito pesado. Primeiro perdemos "os obreiros da caridade"; segundo, este povo que era ajudado, que futuro terá. Estamos com muitos sentimentos de mágoa porque sabemos que aquele povo não tem "onde reclinar a cabeça" para se instruir e para se aliviar das suas preocupações.
Deus, Autor de tudo conduzirá tudo para "a sua maior glória".

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates