21 novembro 2006

Fragilidade segura


Na comunidade onde vivi o ano passado, havia uma jarra de água com um formato muito estranho. Quase sem sítio para se pegar, que parecia que a qualquer momento se iria romper. O que era um facto, é que já durava há mais de dois anos. E interrogavamo-nos como era possível!?

E cheguei à conclusão que pelo facto de ser assim tão frágil, sempre pegava nela com todo o cuidado, enquanto a enchia de água ou a lavava.

No meio de todas as nossas grandezas de alma, temos sempre a noção que nos acompanha uma fragilidade grande, que às vezes parece partir-nos por dentro e tudo o que foi sendo construido e arrumado corre o risco de se perder.

Estou convencido que a nossa fragilidade é aquilo que nos faz maiores. Porque nos é dedicada uma atenção especial, somos levados com carinho, preservados neste desejo de servir a Vida com todas as nossas forças. O que podemos fazer é a nossa força. E o até onde podemos levar a força na fragilidade está nas mãos de quem nos leva.

E essas mãos sabem bem de que somos feitos e para que fomos feitos.

4 comentários:

elsa nyny disse...

Passei por cá!!!!
Gostei muito !!!
Somos frágeis...como dizia S.Paulo..."...quando sou fraco é que sou forte..."

Convido-te a passar no meu cantinho!!!

Beijinhos!!!
;)))

J disse...

Concordo com o post, "a fragilidade é grande " e isso é tão bom.

Um grande beijinho e obrigado por partilhar o que pensa.

Anónimo disse...

Eu nao concordo mesmo nada com esta ideia da fragilidade humana.

Isso de nos socorrermos deste subtrefugio, serve apenas para podermos explicar e convencer-nos a nos mesmoas daquilo que fizemos de mal!

O ser Humano, é um ser racional, que tem consciencia daquilo que faz de bem, daquilo que faz de mal e daquilo que poderia eventualmente ter realizado e por varios motivos nada feito.

O dia-a-dia produz as defesas para que possamos enfrentar as agruras da vida.

Meus caros, deixemo-nos de cepticismos e de filosofias baratuxas e é assim: o Toiro enfrenta-se pelos cornos.

nao fujamos com o cu a seringa e caminhemos o nosso caminhar sem medo de afronta e de cair.

levantem-se e nao vivam na ignorancia....

An@ disse...

Pois que existem momentos de fragilidade, se não fossemos capazes de os reconhcer não teriamos noção de como se tornam difíceis e exigem maior cuidado, errado está quem julga que na vida não há momentos em que temos que cuidar os outros de uma maneira diferente por estar num momentos "de cristal quebrável". O bom é podermos crescer e saber em que altura cuidar das fragilidades com o toque especial que conseguimos ter... exactamente por sermos humanos!!!

* * *

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates