28 fevereiro 2007

Conversão


Há palavras-chave na Quaresma que tenho vindo a tentar perceber o seu significado mais profundo. Nos últimos tempos tem-me chamado a atenção a palavra Conversão.

Parece sempre algo difícil e doloroso, bater no peito e reconhecer que há coisas em mim que não estão como deviam estar.

Entre a verdade exigente e o dinamismo do Amor, sou chamado a preferir uma imagem Amorosa e Verdadeira de mim mesmo.

Converter-me é confrontar-me, olhar-me ao espelho e ver uma imagem não desfigurada, mas desejosa de ser conseguida, e que, de algum modo, já é conseguida porque sonhada. E se é sonhada, também é possível. O sonho leva a não ficar parado, e é a busca desta imagem que não me faz querer ficar limitado no tempo e no espaço.

Con-verter... derramar-me num projecto meu e de Deus? Fazer uma versão autêntica de mim mesmo? Acredito que as duas coisas vão unidas. O que sou e o que quero ser... o que deixei de amar é precisamente o que sou chamado a fazer, de coração mais presente que nunca.

2 comentários:

Maria Alarcão disse...

Só desde há pouco tempo é que tomei consciência desta conversão diária que é tão necessária neste nosso Caminho de Santidade... mas ainda estava muito confuso, e apesar de pedir todos os dias a Deus Nosso Senhor esta graça, ainda estava(e ainda estou!) longe de perceber realmente a essência da coisa... Mas este post veio mesmo a calhar, e não podia deixar de agradecer =)

É mesmo bom vir aqui de vez em quando e ler estes posts que ensinam imenso e que acima de tudo, falam de Deus!

Obrigada mesmo!
um grande beijinho

concha disse...

Fez-me bem ler agora este texto,porque hoje tive atitudes que de certeza não são de alguém convertido.Felizmente encontrei aqui o que precisava.Fui convencida, prepotente e sei lá que mais.
Obrigada

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates