23 março 2009

Na corda bamba


Estes dias tenho andado a pensar numa coisa, sem ter chegado a nenhuma conclusão. Estamos constantemente è procura de pontos de equilíbrio, entre trabalho e descanso, acção e contemplação, ócio e criatividade. Ou em gerir relações complicadas, procurando não explodir, ou deixar passar o tempo sobre as coisas, afastando-nos delas.


Buscar este ponto de equilíbrio é muito importante, e acho que estaremos toda a vida à procura dele, porque cada tempo tem as suas tensões e decisões. Quer isto dizer que a nossa condição é estar na corda bamba, a procurar alguma corda que caia do céu e nos segure quando tudo está mal? Assim não teríamos descanso, e a Vida não nos daria a alegria que habitualmente nos dá.


O equilíbrio também não é buscar soluções de compromisso, ou politicamente correctas. Poderá ser útil para ganhar algum tempo, mas não resolve as questões de fundo. Sem uma boa conversa, com verdade e desejo de bem, os silêncios comprometidos entre dois amigos magoados não ajudam muito. Entre amigos, entre colegas, com nós próprios, etc, etc.


Daí que estar equilibrado não é fugir, nem agarrar a milagres feitos de propósito para a ocasião. É por os pés no chão. Que maior equilíbrio há do que estar em terra firme? E vou percebendo como é preciso coragem para estar no sítio certo e da maneira certa. Só assim conheço o meu mundo, porque não estou preocupado em agarrar o que aparece, mas tenho um olhar tranquilo para ver tudo o que está a acontecer.


5 comentários:

Nônô disse...

Afinal até chegou a imensas conclusões. E gostei muito de ler este post. É que tenho tido imensa dificuldade em conseguir ter a atitude tranquila que nos permite ir vivendo sem cair. Este post deu-me força para continuar a tentar educar o meu olhar nesse sentido... de querer colher os frutos do que vai acontecendo, sem pressas porque Deus não avança sem nós. :D

Anónimo disse...

É impressionante. Na hora certa. Precisava de ler isto. Obrigado!

Luís Leite

Filipe disse...

Realmente, sem equilíbrio cairemos o tempo todo.
Ótimo artigo.

Convido você a visitar meu blog.

http://filipemissaodepaz.blogspot.com/

A Paz!
Filipe Mendes

Mlee disse...

Agarrando na imagem e no texto e na certeza de que ambos me dizem muito, asseguro o seguinte: Existem dois elementos fundamentais na procura do equilibrio em cima de sapatilhas de pontas, por um lado, o focar de um ponto fixo à nossa frente e por outro a boa musculatura do corpo.
Não será assim com tudo?
Colocarmos, como dizes, os pés (ou as sapatilhas :)) no chão e procurarmos na vida focarmo-nos naquele "ponto" que é realmente importante e assim muscularmos a nossa vivência e a nossa vontade ...

beijinhos

Antonio Valerio, sj disse...

Olá e obrigado pelos comentários! Tudo nasce de uma atitude de espera que não é passividade, mas é muita actividade. Renunciar a juizos apressados e aos nossos impulsos é um exercício que por vezes não é nada fácil. Por isso, Mlee, concordo e gosto muito da imagem da musculatura. Para parecer tudo mais natural e leve, precisamos de uma estrutura resistente. E muita paciência para a conseguir! ;)

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates