27 janeiro 2007

O Livro da minha Vida


Num instante percebo o que significam coisas profundas. O difícil é poder falar delas.

Páginas escritas quase ao ritmo do pensamento falam pouco. O que é falar de alegria, quando se diz apenas que se está feliz? Ou que sinto falta de alguém, perdida num simples "tenho saudades"? Quanto fala um abraço, quanto fala um calafrio na espinha? Quanto diz uma lágrima?

Descubro corações em olhos impossíveis de descrever. As rugas de umas mãos cansadas são mais de mil páginas de uma biografia.

A luz do sol que me aquece à varanda é poeta. Aquece a Vida muito mais que a melhor das metáforas. Escrever é uma procura cega, talvez seja só pôr na consciência o sentido do pensamento.

Cada vez vejo melhor no bater de um coração apaixonado e todo entregue pela Vida mais realizada, o melhor livro de sempre. Este, sim, é o Livro da minha Vida.

1 comentários:

Diogo Costa disse...

Tudo o que dizes tem tanto sentido...
de facto ajudou-me a abrir um pouco os olhos... não basta dizer estou feliz...
é preciso muito mais que isso... é necessário provor em primeiro lugar a nós mesmos que o estamos... sabermos o porque dessa felicidade... e depois não é só isso... se acreditarmos que estamos mesmo felizes, é bem mais simples entregar a nossa felicidade aos outros...
sim é dificil explicar o profundo... mas só aos poucos... à medida que nos vamos conhecendo a nós mesmos vai-se tornando cada vez mais facil essa descoberta da nossa própria identidade... mas msmo assim é tao dificil por vezes...
Obrigado Valério, por continuar a poder rezar junto a ti... e a sentir-te quentinho no meu ser...
Para sempre companheiros em Jesus...

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates