07 outubro 2006

No stress


Estava há dias a pensar em amizades. E já me tinha dado mais ou menos conta que os grandes amigos que tenho são, na sua maioria, pessoas muito diferentes de mim. As vezes são mesmo casos que se diria à partida que não poderíamos ter nada em comum.

E porquê? Vejo algumas hipóteses: ou porque me completam, em coisas e qualidades que não tenho tão desenvolvidas; ou talvez porque olham para a vida de modo diferente e não menos bonito, alargam o meu horizonte.

E acho que é disto, mas sobretudo de uma outra coisa: são caminhos de vida que Deus pôe no meu caminho. Porque em cada momento precisamos de algo que nos faça olhar para além dos nossos limites, e mesmo das nossas qualidades.

Completar a vida com amigos assim faz-nos alargar o coração e estender as mãos, para coisas novas, que não estariam nos planos iniciais. E são momentos de Deus.

Lembro-me de um amigo muito especial. Uma das pessoas mais bem dispostas que conheço, simplesmente me faz rir, é sempre novo o que diz. Uma amizade que se foi fazendo de descobertas e surpresas e de momentos de riso intenso e lágrimas muito sinceras.

Quando a amizade nos faz crescer naquilo que não nos pertence à partida e nos faz diferentes, isso é uma verdadeira Criação.

2 comentários:

Fifi disse...

Somos feitos de pequenos pedaços que se agregam ou se fundem..e nos transformam!Pedacinho com bocadinho..crescemos e tornamo-nos cada vez maiores!
Beijinhos.Gmdt

mónica disse...

Obrigada pela enorme sensiblidade presente no q escreves...
:-)

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates