05 maio 2009

Livre


Hoje choveu e fez trovoada em Roma, depois de uma manhã de sol e agora está o céu completamente azul e uma luz brilhante e dourada. Fascinam-me as cores desta Cidade. Isto acontece muitas vezes e quando chove assim, fico contente à espera do momento em que tudo termina e o ar fica leve e luminoso. ;)

Por vezes, estamos demasiado centrados num presente que nos obriga a estar protegidos do futuro, com medo de arriscar, de dar passos maiores, de ousar uma felicidade diferente. No fim de tudo, ser livre.

Vamos fazendo tantas conquistas sem nunca estarmos satisfeitos, faz parte de nós andar para a frente e para trás, oscilar entre sonhos e preguiças. O medo existe e o desconforto que causa é muito real. Acredito que um medo chuvoso é uma oportunidade para ter coragem e ser livre, deixar brilhar aquilo que sabemos que somos e não nos deixarmos ficar pequenos em coisas que não vale mesmo a pena preocuparmo-nos.

4 comentários:

susana disse...

os medos chuvosos vs os medos radiosos:) porque como eu dizia há uns tempos atrás o medo tem uma função fisológica e até mesmo de sobrevivência... mas o medo chuvoso, como lhe chamas, é essencialmente o medo de crescer, de crescer pela dor. E isso amorfa-nos. Coage-nos. Porque a felicidade pode estar por detrás dos passos mais dolorosos e/ou dos caminhos menos reconfortantes.
um abraço
su

Anónimo disse...

Obrigada pela partilha, pois vem de encontro ao que tenho vivido.
Com amizade e apreço.
Obrigada.

Carl@ Mesquita disse...

Uma cor, uma luz, uma vontade diferente. Um momento invisível.

As tuas palavras têm energia e magia na presença.Obrigada amigo.

Beijinho mt grande.

Pedro Barros disse...

A Bondade como Estilo de Vida


| XVII Congresso de Estudos de Teologia | 22 e 23 de Maio | Seminário Maior de Coimbra

http://aetc.pt.vu

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates