10 abril 2009

Mistério da paixão



É inevitável que esta semana santa, aqui em Itália, esteja marcada pela tragédia que aconteceu no dia 6, em Aquila, Abruzzo. Tenho seguido muito o que vai acontecendo, não tanto por ter sentido o tremor de terra aqui em Roma, que não teve consequências para além do susto normal destas situações, mas por saber que a poucos quilómetros daqui vivem-se momentos de dor e sofrimento muito grandes.


O mistério da morte de Jesus não é, de modo nenhum, um acontecimento longínquo, que celebramos de forma mais ou menos tradicional. É algo que está muito presente em cada dia. Simplesmente, não há explicações para dar nestas alturas. Vive-se um silêncio de incompreensão, de tristeza, de não conseguir perceber o porquê. O que tenho rezado, para além de rezar pelas vítimas deste terremoto, é o modo como Jesus se torna presente.


Acredito num Deus que assumiu a nossa condição humana. Que levou até ao limite a nossa existência. É muito óbvio ver Jesus nos rostos de quem perdeu a família, a casa e todos os seus bens. Jesus morreu abandonado pelos seus amigos, foi despojado da sua dignidade, sofreu um julgamento injusto e uma morte atroz. Porque Ele quis que fosse assim. Para que percebesse e experimentasse na pele os meus pequeninos dramas e os dramas imensos de quem sofre, como estas pessoas de Aquila.


É isto que me fascina mais na minha fé. Um Deus totalmente próximo, que me percebe e acompanha em tudo o que me possa acontecer. Nisto há uma misteriosa fonte de esperança e Vida. Vendo as centenas de voluntários civis, não so os bombeiros ou a protecção civil, que trabalham e escavam, até com as próprias mãos, na tentativa desesperada de ainda encontrar alguém vivo... não é este um sinal de que a Vida e o Amor vence a morte? De como somos capazes de coisas grandiosas e que nos poêm tão fora de nós?

2 comentários:

Carolina disse...

Li duas vezes este post, e senti igualmente uma consolação sensível muito grande, com a gratidão de viver essa experiência de comunhão com esse Deus, com Jesus que "assumiu a condição humana" para ser ainda mais próximo. Dou graças a Deus por essa fé, por esse olhar solidario e amigo que também sinto... Também rezo pelas vitimas do terremoto... Rezo pelas vitimas de toda e qualquer dor para que reconheçam assim mesmo, o Senhor ressuscitado por amor.

Mais uma vez obrigada pela reflexão. Uma santa páscoa. Muitos beijinhos. :)

susana disse...

tivessemos nós a sensibilidade e a escuta activa para o encontrar-mos nos olhos dos outros. Sabes na quinta-feira estava eu a deitar uma das meninas do centro onde eu trabalho, a tentar adormecê-la e ela a afirmar que não conseguia ter sonhos bons,quando ela me disse: Susana, pedes agora a Jesus para eu ter sonhos bons? E eu lá pedi em voz alta por ela, enquanto ela sorria. Acabou por me pedir para lhe pedir também que ela adormecesse rápido. E eu disse-lhe: Jesus nunca me deixa mal, vais ver que ele nos vai ouvir.
Eu tenho uma ligação a Jesus que está para além do que te poderia explicar. E eu vejo-O no olhar daquelas crianças. Os olhos Dele, estão nelas. E cada vez que eu as abraço, abraço-O a ele. Ele está tão próximo de nós, é tao óbvio, tão claro para mim. A paixão dele, sobrevive dentro de todos nós, todos os dias. E sabes... eu também o encontro cada vez que aqui venho.
su

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates