11 fevereiro 2008

As imagens de mim



O que poderia pôr como modelo de mim mesmo, para o qual olhasse quando me quisesse construir ou mostrar ao meu futuro?

O que tenho já presente daria para pintar um mundo inteiro... de facto, somos complexos e não paramos de nos associar com tantas histórias e lugares. Sobretudo com pessoas, aí novos mundos às vezes tão impossíveis de alcançar. Não dominamos o que somos, a nossa história é muito vasta.

Isto acontece se fizer uma paragem séria no meu presente e olho para o que sou... cores bonitas, acima de tudo... e agradeço. Para a frente ainda é mais complicado. Se sou capaz de prever muito dos meus programas, não tenho certezas absolutas do minuto que vem já a seguir. Há um tempo futuro que faço, mas outro, o mais importante, é-me dado, com todas as suas circunstâncias... a esse posso reagir, ferido, admirado. agradecido, revoltado...

O tempo não cabe nas minhas medidas... porque tem um outro Senhor que assiste de sempre e para sempre... se alguma programação há na minha Vida, faz todo o sentido que seja pensada amorosamente... as provas depois de tudo o que acontece fazem-me viver nessa esperança.

2 comentários:

Anónimo disse...

Caramba... falas com autoridade. O que dizes não é uma verdade qualquer nota-se que sabes com a tua vida do que falas. Obrigado... continua a ser "reparador de brechas"

o'olivetree disse...

Pensar a vida amorosamente. Olhar o futuro com as suas circunstâncias, por vezes absurdas à primeira vista. E viver na esperança.

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates