02 março 2010

Suavidade



Não vale muito a pena tentar mudar coisas de forma violenta. Certamente, há aspectos na nossa vida que exigem algum corte ou mudança repentina, mas acredito que isto se aplica a uma parte bem pequena dos nossos momentos.

De facto, a nossa vida tem uma continuidade de sensações e impressões às quais devemos ir estando atentos e percebendo até que ponto todas as coisas nos ajudam a construir na autenticidade e na verdade. Isto faz-se com pequenos passos e certezas cada vez maiores.

A vida parece muitas vezes repentina e violenta, mas o passar do tempo é muito mais suave do que supomos. Ter consciência da suavidade do toque de cada acontecimento dá outro respiro àquilo que estamos a fazer, alimenta as nossas expectativas numa outra direcção. Faz-nos mais atentos, mais centrados, com maior respeito por mim e pelos outros, e maior liberdade. 

4 comentários:

Nova Civilização disse...

obrigada pela partilha,

abraços fraternos,

Gisele

Lídia disse...

Olá

Ao tomarmos esta atitude, passamos, quem sabe, a viver a vida, efectivamente, e não a deixar passar por nós, como se fosse banal, não fosse única e um dom, uma dádiva de quem muito nos ama. Obrigado.

Beijinhos
Lídia

Eduard López disse...

perché mi sento riflessato nel tuo post?
coscienza di suavidade... sfida ma punto di sofferenza anche.
saluti vicino e padrino...ma amico...
eduard

Maria José disse...

Olá Antonio. Belo texto. Mudança drástica e repentina é violenta e causa mal-estar. É preciso mudar sempre. A vida está em constante transformação. Não há espaço para estagnações. Mas como diz, toda mudança deve ser suave, lenta, sentida passo a passo, para que se incorpore em nós e faça parte de nosso dia-a-dia. Beijos e bom final de semana.

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates