07 março 2010

Não desistir


Certamente ouvimos já tantas vezes alguém que nos tenha dito: "Não desistas". Nós próprios já o dissemos a alguém e também a nós mesmos. O que está por detrás do não querer desistir?

Em primeiro lugar, isto só acontece quando nos confrontamos com um cansaço ou com uma dificuldade que põe em causa o nosso esforço. Parece óbvio dizer isto, mas estou convencido que muitas vezes desistimos sem perceber porquê, o que fizemos para ficar cansados, ou sem reflectir se a dificuldade é de tal ordem que seja suficiente para nos fazer parar.

Em segundo lugar, desistir esconde uma falta de energia e vontade. Não encontramos em nós a luz suficiente para manter um compromisso assumido e desmotivamo-nos com  a falta de frutos do que fazemos ou respostas ao nosso empenho. De todos os modos, parece-me que olhamos mais para fora de nós e para os efeitos da nossa acção do que propriamente para o que acontece dentro de nós.

Quando assumimos um compromisso, devemos ter consciência que aquilo que prometemos a nós mesmos ou a alguém nasce espontaneamente de um desejo de fazer algum bem, algo que nos faz sair de nós e traduz de uma forma concreta a nossa bondade. Quando desistimos, deixamos de ser nós nalguma parte do mundo das nossas relações, criamos espaços vazios e alguém fica a perder.

Finalmente, uma coisa é desistir, e outra é deixar um compromisso para dar lugar a um empenho mais completo. Desistir fecha uma estrada, escolher um outro caminho abre outros horizontes.

5 comentários:

Lídia disse...

Desistir é o caminho mais certo para nos afastar de Deus, isso é certo. Outrora, desistir é o culminar de uma crise existêncial, que nos deixa sem sentido, perdidos e frustrados, como também sem horizontes futuros.

Como diz, o melhor é assumir o compromisso de verdade e, assim, não se desiste apenas podem acontecer mudanças de direcção...

Obrigado.
Beijinhos
Lídia

disse...

Interessante a distinção que faz entre "desistir" e "mudar de caminho". Tantas vezes sentimos vontade de baixar os braços; raramente ousamos mudar o rumo das nossas vidas. Se desistir é sinal da nossa fragilidade, mudar de caminho é sinal de grandeza. A Páscoa aponta para a conversão.

E ainda há quem tenha dificuldade em reconhecer a actualidade da mensagem de Jesus...

Um abraço amigo, Pe Valério:)

Mithrain disse...

Olá
Sinceramente hoje já pensei em desistir. Às vezes não se trata de uma fraqueza nossa, mas de alguém que nos empurra da ponte e nos deixa afogar. E eu nao sei o que fazer...

Beijinho

Maria José disse...

Antonio. O esperado é fecharmos o ciclo. Iniciarmos uma tarefa, atividade, um comprometimento e o completarmos. Gostei imensamente da sua conclusão: Desistir fecha uma estrada, escolher um outro caminho abre outros horizontes. Perfeito, amigo. Beijos.

Anónimo disse...

... às vezes, não é desistir, mas tão somente, fechar um caminho que "não dá", a abrir-se à espera de um caminho que virá.
O2T

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates