05 junho 2009

Vento


Perguntaram-me no outro dia qual era uma das minhas metáforas preferidas. É difícil, porque normalmente associo imagens a estados de espírito, que mudam consoante o humor e aquilo que tenho presente no momento. Mas creio que uma das mais constantes é o vento.


O vento é mistério, alívio, e originalidade. É algo que passa sem tomar conta de nada. Esquece-se rapidamente. É um momento de toque da Natureza. Para mim tem um significado de recordações. Um vente quente do fim da tarde traz o calor do dia e sua história. Que passou por mim, fez-me e continuou.


O vento traz-me lembranças e desafia-me a ser livre e despojado. Muitas vezes trazemos aos ombros coisas tão pesadas que nunca levaríamos para encontros fundamentais. No encontro connosco mesmo, o vento purifica, torna mais ligeiro, olha mais para o futuro que para o presente. Perde e encontra ao mesmo tempo, porque pôe cada coisa no seu lugar certo.

2 comentários:

Anónimo disse...

Ah, também para mim o vento é misterio, alivio, originalidade... e espirito, O Espirito, com o encanto de virgens verdades dilatando-se...
Voce me faz tirar coisas do fundo do baù!!!
Gde abraço!
Rogério.

Nélson Faria disse...

Mais uma reflexão fantástica. Prosa lírica :D

 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates