31 março 2008

As mudanças

3comentários

Depois de experiências fortes, chega o tempo de voltar ao dia-a-dia, e às coisas de sempre. Seria, contudo, melhor que não fossem precisos momentos especiais para abraçar regressos conhecidos. Ajuda, mas sobretudo faz cair na conta de atitudes que deveriam estar sempre mais presentes.

Os tesouros conquistados num dia de Vida atenta a luz do sol, cores e perfumes, enchem a nossa casa de tantas coisas que ficam a fazer parte de nós. Cada dia poderia ser uma mudança para algo melhor, mesmo que fosse um dia em que tudo acontecesse ao contrário.

Um coração que sai de casa cada dia aberto ao que vier, cheio de dons para dar e vender, não se espanta mesmo com a possibilidade que os bons propósitos desapareçam em poucos minutos. Mudar cada dia para fazer coisas cada vez mais completas, em tudo o que acontece... não é fácil encontrar os embates, mas a atitude de fundo predispõe para uma alegria simples e desprendida.

É preciso humildade nos gestos de dar, porque cada dia voltamos a casa mais cheios.

30 março 2008

Vida e Luz

1 comentários

Estamos em tempo de ressurreição, e isso deve tocar as nossas vidas em profundidade. É já um lugar comum aceitar - de forma mais ou menos automática - o facto de Jesus ter ressuscitado. Se parássemos para pensar melhor, talvez caíssemos na conta do que isto significou nos dias em que tudo aconteceu.

Um amor perdido e desiludido que aparece de novo. Assusta, custa reconhecer. Somos pequenos para aceitar a totalidade da Vida, o sem limite dos nossos acontecimentos. A ressurreição trouxe para os primeiros discípulos, para além de uma inacreditada alegria, uma paz e uma certeza. E aquela coragem de superar todos os medos e ir além de todos os desejos e programas.

Um pescador de uma pequena aldeia da Galileia vem morrer a Roma... o que estaria no coração dele? A ressurreição faz adivinhar uma Luz de presença forte na Vida, uma transformação em pessoas corajosas, pacíficas e que vão longe, sempre mais longe...

26 março 2008

Como dizer...

9comentários


E foi ontem o dia da minha ordenação diaconal. Diziam-me no fim, e durante o dia de hoje, que tenho um brilho nos olhos, que irradio felicidade. Se me perguntassem como foi, o que senti... diria que foi bonito. Às vezes tenho a noção que consigo expressar por palavras profundidades da alma. Ainda hoje não consegui... falaria de felicidade e ser completo, e esperaria que dissesse: sabes o que isso quer dizer.

Foram duas horas de celebração em que rezei todo o tempo, em que ouvi a Igreja rezar por mim, em que estava rodeado de calor humano e espiritual a ponto de encontrar excessivo um espaço de eternidade, num momento em que o Espírito de Deus vem até mim e me faz ser a mesma pessoa na mais absoluta verdade. Seria dizer ser construído no amor de Deus, e confirmado através dele.

Continua a Vida, regressam os passos pela Cidade Eterna, com esta luz transparente que essa, sim, diz tudo. É um modo completo de olhar o futuro... ressuscitado, amado, entregue, acompanhado...




PS: Agradeço com toda a alma a presença amiga de tantas pessoas que vieram cá, e as que chegaram a mim levadas pelo vento da oração. Bem, e a fotografia, suponho que haverá curiosidade em me ver, coração novo em roupas novas =)


22 março 2008

O dia de hoje

8comentários

Um dia longo, muito longo... Faz parte da Vida fazer uma experiência de profundo silêncio e comunhão com Deus para depois ser entregue à velocidade do mundo e dos acontecimentos plenos sem esperar estar preparado.

O chão que pisam os passos da alma é suave, mas os horizontes provocam sorrisos e lágrimas, vontade de abraçar palavras de consolação e gritos de alegria, no meio da maior serenidade.

Contive as lágrimas enquanto esperava que os pais e irmão passassem pela porta de chegada do aeroporto, sem saber o que dizer quando os visse... meses de preparação de um encontro, e eis que chegavam... E a alegria de amigos que trazem saudades do passado realizado em toques de transformação do espírito, uma comunhão feita no meio de brincadeiras sérias, porque ficam marcas para sempre.

Finalmente, um coração meu que se sente inacreditavelmente amado, sem hipótese de ficar sozinho... ficam-me perguntas que me resta aceitar sem muitas respostas... é assim a Vida.

PS: Agradeço a todos a presença amiga e a oração. É mesmo bonito e grande chegar e perceber como se levam pedidos do coração a Deus a partir de tantos lugares e pessoas... se aqui existe comunidade virtual, parece-me e sinto-a como muito real... Também rezei e rezo por todos =)

12 março 2008

De partida

7comentários

Hoje saio para fazer Exercícios Espirituais, durante 8 dias. Regresso a Roma dia 21. É um retiro de preparação para a minha ordenação diaconal, que será aqui em Roma, dia 25 de Março.

É uma experiência forte, de continuação de um caminho sonhado e conseguido, que vai assumindo compromissos mais definitivos. Como todos os momentos importantes, este precisa de um coração aberto e seguro de tudo o que é oferecido e confiado.

A minha vocação parte desta intimidade com Deus, que me pede uma resposta. Não seria autêntico se não desse tudo a quem dá tudo. Inclusivamente as fragilidades e os medos. Por isso, chego ao caminho de mãos abertas e peito confiante, iluminado, atingido de paisagens fortes.

Fico a rezar por todos e peço especialmente a vossa oração e amizade. É bonito ver que neste espaço se chegam a construir laços que não têm rosto, mas sustentam sentimentos. Obrigado e até breve! =)

10 março 2008

Força para tudo

4comentários

No ano passado, durante uma peregrinação a Santiago, num dia de muita chuva e vento forte, no meio do monte, sem ver nada à volta.

Há momentos que são parábolas excelentes da Vida. Teria tudo para me assustar, voltar para trás... nem dava para ficar parado. Um instante de ter de deixar ou avançar, entre o regresso às seguranças anteriores ou arriscar num futuro que se sabe ter uma meta.

Senti-me forte contra todas as tempestades. Passaram por mim, durante alguns segundos, os momentos em que pensei que não seria capaz de depender só da força de Deus. Foi uma certeza de avançar, porque não há outro remédio, nenhuma outra possibilidade que encher o peito e caminhar com decisão.

Se a fé move montanhas... é verdade, sobretudo quando se atravessam e ficam para trás como pequenos obstáculos, os mesmo gigantes de sempre, chuva e vento que passa. Há coisas gigantes em nós.

09 março 2008

Sorte e Destino

2comentários

Ando a viver uma fase de perceber momentos importantes da minha história. Fico feliz quando olho para trás, confio mais que nunca no meu futuro. As palavras sorte e destino têm-me acompanhado de forma especial.

A sorte tem a ver com o imprevisível, o destino tem a ver com o futuro.

Depende muito das Mãos que levam e criam o meu destino... tenho a certeza que posso ser livre o suficiente para não ter fatalidades durante a Vida. Ficaria bloqueado e pequeno. E as coisas imprevisíveis, são sorte e azar, coisas boas e coisas más, que não dependem de mim. Mas tenho a certeza que posso ser livre o suficiente para não ter medos paralisantes.

Um atitude positiva e construtiva de felicidade na Vida é essencial, se quiser fazer do meu destino a minha sorte. Tenho sorte no que vier a ser, se quiser ser com verdade, com aquilo que Deus simplesmente faz acontecer.

07 março 2008

Entre o ter e o deixar

1 comentários

Quando tenho a oportunidade de poder rever a minha Vida, e descobrir os pontos significativos, dou-me conta que vamos vivendo sempre num jogo de liberdades. Talvez a característica maior daquilo que procuro são os desafios constantes de dar e esperar receber. E de dar sem esperar receber.

Encontro muitas vezes a complexidade do bem que fazemos na nossa Vida e como isso nos constrói, porque marcámos caminhos nossos e dos outros. E é tão frequente que, depois de determinadas decisões, nascidas de momentos eternos, já não se pode voltar atrás, nem apagar do mapa das nossas referências.

Há dias de liberdade plena, ou um sussurro de dizer que basta um único amor, que nunca deixou de existir desde o dia em que se pôs pela primeira vez o sol. A liberdade maior é desprendida, faz com que o ter tenha a marca do deixar... e caminhar com pouco peso, um coração aberto ao vento e ao mar.

Final da Congregação Geral

1 comentários

Ontem terminou a 35ª Congregação Geral dos Jesuítas, em Roma. Um trabalho intenso de dois meses, de busca e concretização da vontade de Deus para a Companhia de Jesus, feito por um grupo de 210 representantes das províncias de todo o mundo.

O ambiente da Missa final de ontem à tarde era de uma enorme festa e gratidão. Acredito que as verdadeiras experiências do Espírito levam a uma comunhão muito particular, onde as fronteiras culturais e linguísticas são ultrapassadas e se chega a coisas únicas. Fazer unidade na diversidade, poder transmitir um mesmo pensar e um mesmo sentir, é algo possível... e nota-se.

Nos rostos e nos gestos dos padres congregados, notava-se este cansaço feliz, de missão cumprida, de vontade de levar a todo o mundo uma experiência de corpo universal. E nós, jesuítas e tantas pessoas amigas ligadas a nós, sentimo-nos confiantes no que sairá desta Congregação. Porque vem de Deus, é sincera nos objectivos, é um caminho real apontado e possível de seguir.

06 março 2008

Perdão

2comentários

Uma das palavras chaves da Quaresma é o perdão. Perdoar é uma possibilidade da alma que nos aproxima inacreditavelmente da capacidade de sermos como Deus. Não é ignorar um mal cometido, como se fosse fácil esquecer, sem mais, o facto de não termos dado amor como devíamos. Tem a ver com as nossas faltas de verdade e isso deixa marcas.

Mas perdoar tem a marca de um recomeço, de um continuar no caminho autêntico. É uma capacidade de integrar os lados escuros da Vida e fazer deles referências de luz e esperança. É ter na pele uma dor que já não quer voltar a ser sentida, mas antes acariciada.

As minhas experiências de perdoar e ser perdoado aumentam a minha verdade. Fazem acreditar que sou acreditado... e isso é muito consolador. Por isso, o tempo de Quaresma dá este espaço vital de aproximarmos a nossa verdade da luz de Deus, de sermos mais capazes de amor. E porque não a confissão? É a possibilidade de ter nas mãos muitas certezas...

05 março 2008

Novidade! =)

3comentários


Os jesuítas portugueses, após alguns meses de discussão de propostas, arranjos, tentativas, lançaram hoje o essejota.net!

É uma página de conteúdos, para já mensal, onde sem tem à disposição uma série de temas diversificados, que façam rezar, reflectir, conhecer coisas da arte e da cultura, aquilo que acontece dentro e fora da net.

É resultado da colaboração de um grupo de jovens jesuítas e alguns amigos e, para já, a prova de um exercício de trabalho de equipa e discernimento, que se espera ser de muito proveito para quem visitar. Bem vindos! =)

04 março 2008

Sobre os sonhos

3comentários


Sonhei com um mundo possível de paz e harmonia. Está ao alcance das minhas mãos não esquecer as notícias dos jornais e querer fazer bem sem desanimar. Sem me perder num bem estar só meu, dando-me conta que sou privilegiado naquilo que tenho e nas oportunidades que me são dadas.

É um mistério querer construir paz quando tudo funciona ao contrário... e surgem perguntas de porquês indefinidos acerca de liberdades mal usadas. Que não são as minhas, mas percebo na pele o poder da sua atracção.

O olhar demasiado para dentro de mim, pode ser tão transformador, mesmo na vida dos outros, quando não fico parado em consolações que me convencem que estou bem, quando deixo de amar com verdade. Se pudesse escrever um cartaz gigante que passeasse pelo mundo e fosse capaz de convencer que temos de ser maiores que nós mesmos... que não nos bastamos, que nos devemos gastar por algo infinito que faz parte de nós e deixar-nos arrastar por isso...

03 março 2008

O bem que quero

2comentários

Uma das atitudes mais positivas é o querer o bem. É mais fácil desejar o bem quando alguma coisa deve melhorar, em nós ou nas nossas relações, o que implica por vezes decisões difíceis e uma dose enorme de paciência.

Há outro bem que se aproxima do óptimo ou do que nós acreditamos ser a perfeição a que somos chamados. Aí encontramo-nos com a instalação e a preguiça. E também é importante o equilíbrio de não querer ser perfeccionista.

Temos uma aceitação profunda de nós mesmos, quando reconhecemos limites mais ou menos superados e acreditamos que temos capacidade de ir além de nós mesmos. Vamos sendo conduzidos num movimento de querer alargar os abraços que damos à Vida, olhando a importância de tudo o que acontece hoje e agora, e fazendo o bem a que somos realisticamente chamados.

Que esta semana seja um bem para os nosso gestos. Boa semana! =)

02 março 2008

Certas palavras

3comentários


Antes de dormir, tenho um livro de histórias que me acompanha... desligar do que foi o dia, pensar noutros mundos, viajar por estradas de flores e campos de trigo. Há palavras nos livros que descrevem paisagens que parece que sempre vivemos lá, e pertencemos a alguns lugares que não conseguiríamos descrever de outra forma.

E vou-me definindo entre palavras e mundos que dão esperança e fazem perceber a fundo as origens e os destinos dos sentimentos e dos desejos.

Chegaria um exercício de escolher certas palavras que definissem cada um dos meus dias, e às vezes palavras que gostaria de nunca as dizer. Felizmente, também temos um dicionário imenso de termos felizes. Mas as grandes obras de arte são escritas e feitas em folhas brancas e pedra bruta... daí nasce poesia... e a perfeição que já somos ganha forma.

01 março 2008

Decisão

2comentários

Às vezes nem é tanto decidir entre várias coisas... é mais o decidir fazer, assumir consequências, começar caminhos. Penso muitas vezes que digo para mim mesmo: "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço". Tudo seria simples se as coisas de dentro acontecessem com um estalar de dedos. E esperar que o sol iluminasse todos os dias da mesma forma.

E dou-me conta de nuvens e vento.

Porque somos teimosos em controlar as nossas acções e não deixamos que os desejos verdadeiros nos conduzam com simplicidade? No fim de contas, o que nos custa é a simplicidade de aceitar aquilo que podemos fazer e acreditar a sério que somos capazes de ser maravilhosos.

Essa experiência já a tocámos várias vezes, e em situações difíceis... em que percebemos que o tempo faz muito em nós, e que somos demasiado complexos e apressados... às vezes falta mesmo decidir decidir bem.
 

Cidade Eterna © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates