31 agosto 2006

Simplicidade

4comentários
Piazza Navona. Às 22.30h, passeando por ali, ouço ao longe uma música da banda sonora de um filme muito especial. Aproximo-me, um ilusionista começa o seu espectáculo. A determinada altura, ele vai buscar pela mão uma menina no meio do público, teria seis ou sete anos... tao bonita! =)

E fez aquele truque conhecido na folha de jornal rasgado em muitos pedaços, que se pôe dentro de um saco e depois sai a folha inteira.

Mas qual foi a magia? Há alturas em que parece que temos o priviliégio de entrar num mundo de sonhos, num filme feito à nossa medida. A música de fundo continuava, a menina com o chapéu de mágico na cabeça... e o truque.

Nunca esquecerei o olhar e os gestos dela... e o sorriso de admiração quando a folha saiu inteira. Porque foi ela que fez os gestos, que disse as palavras mágicas. Não ouvi as as palavras, mas o coração sim.

E a magia fez-se no coração daquelas pessoas e no meu. Vejo agora parada no tempo a imagem dessa menina. A surpresa de quem é simples, de quem vive cada momento como uma oportunidade de profunda alegria. Ela tocou a Vida de uma forma que eu não fui capaz, porque sei como se fazem tantos truques. Foi capaz de ver para além das nossas ilusões o que é o verdadeiro dom, o que são as contínuas opotunidades de felicidade.

29 agosto 2006

Tu podes

5comentários

Quantos abraços já tivemos assim? =.)

PS: Título e fotografia de Vítor Cid.

Equilíbrio

1 comentários
Equilíbrio: Esta palavra tem sido muito importante ultimamente. É mais uma daquelas coisas que sabemos que é essencial e que, no fundo, sempre estamos à procura, mas é dificil saber como a pôr em prática.

Esta ideia já vem da sabedoria mais antiga: No meio está a virtude. Mas no meio de quê? De estados de suprema felicidade e estados de grande tristeza? De atitudes de possessão em relação às pessoas e às coisas ou estados de libertação? É de tudo um pouco.

O que é mais difícil na busca do equilíbrio é, a meu ver, que o polo negativo é muito preguiçoso e fecha imenso os horizontes, não deixa ver para além do seu estado. E isso exige esforço. O polo positivo é tão bom que custa te-lo com liberdade, com medo de se perder. E isso exige esforço.

Buscar o equilíbrio na vida requer optimismo e liberdade. Optimismo para acreditar que tudo pode melhorar e liberdade para perceber que tudo é um dom que não pertence ao meu egoísmo.
É uma atitude verdadeiramente humana, responsável e madura, olhar para além do que não tenho e para além do que tenho... Ser agradecido.

25 agosto 2006

É loucura?

3comentários
Estar nesta casa, onde começou tanto do que é a Companhia de Jesus, à qual pertenço, tenho vivido alguns momentos muito especiais de encontro com coisas fundamentais da minha vida.
Tenho sobretudo pensado acerca do que significa ser chamado ou, por outras palavras, a Vocação.
Ao olhar para estes anos, consigo ver sempre os mesmos momentos chave, em que fui sentindo que realmente era chamado a ser de Jesus.
Mas agora, com mais tempo, vou-me dedicando a olhar para aqueles dias e momentos em que não fui estando tão atento... e fui descobrindo o seguinte:
  • Que realmente, parece uma loucura este tipo de vida, sem raízes, sem família, sem futuro certo, sem amigos constantemente ao lado.
  • Que a Vocação nasce de um desejo subtil e sempre incessante, que não termina enquanto não se decide a dar um sim para toda a Vida.
  • Que a Vocação se vive cada dia, todos os dias, numa amizade cada vez mais completa com Deus.
  • E, por último, que a maior graça foi ter sido chamado a esta Vida, por verdadeiramente ter sido escolhido.
    Mas a Vocação não é so uma coisa exclusiva de Padres e Freiras. Decidir a própria vida por Jesus, é ter a certeza que temos um caminho de uma profunda realização humana, porque somos escolhidos para uma vida total. Seja ela qual for.
    Um padre terá de rezar, um pai de família terá de educar os seus filhos, uma namorada terá de cuidar o namorado, o amigo terá de amparar o amigo. No fundo, cada homem e mulher tem a Vocação para Amar.
    E esta não nasce de coisas incompletas, nasce do mais divino que temos em nós. Uma vez dito o Sim, porque a Jesus só vale a pena dizer sim, a vida tem um sentido cada vez mais pleno, mas cuidado como a coisa mais preciosa, dia-a-dia.

    24 agosto 2006

    Artistas de Rua...

    1 comentários
    Ontem à noite fui dar mais um passeio pela Cidade Eterna!
    Aqui em Roma vêem-se muitos artistas de rua, uns mais talentosos que outros, em muitas praças e esquinas. São músicos, malabaristas, contorcionistas, estátuas...

    Isso faz com que a Cidade esteja muito cheia de música e talento. Mas uma das primeiras vezes fixei-me com mais atenção no que estava a ver.

    Uma rapariga estava a começar o seu espectáculo e, depois de vestir o fato disse: "Eu faço este espectáculo para vocês. No fim podem dar aquilo que quiserem. Cinco euros para vocês nao fazem diferença alguma mas, para mim, podem mudar a minha vida."

    E a partir daí, comecei a olhar estas pessoas, porque verdadeiramente se vêem algumas coisas muito bonitas, e a pensar que pessoa, que vida, que casa e que família estaria por detrás daqueles vestidos e daqueles gestos.

    Muitos farão disto um tipo de vida, mas outros não terão outras hipóteses para sobreviver, além de virem para a rua divertir e fazer rir.

    E fico a pensar que tantas vezes as estas pessoas pobres poem cara alegre e podem fazer muito pelos outros. Agora, quando vejo alguém assim, sinto-me mais rendido que nunca à alegria. E esforço-me por rir quando mesmo quando não percebo a piada e por bater palmas mesmo que não tenha sido uma acrobacia genial... para além de alguma moeda, entregar também flores da alma.

    E sinto que é muito importante que eu possa criar o meu próprio espectáculo dentro da minha praça, para nos momentos difíceis ser capaz de mostrar arte e beleza aos outros. Nunca esquecer a própria dança...

    Uma explicação =)

    2comentários

    O endereço deste blog tem um motivo de ser, e não quis deixar de o dizer! =)

    A expressão "Amar-te somente" foi utilizada para uma oração numa primeira experiência de dar Exercícios Espirituais a um grupo de alunos do Colégio das Caldinhas, de Santo Tirso, que estavam a terminar o Secundário.
    "Amar-te somente" é a única razão possível que explica aquilo que Jesus faz por nós, e aquilo que podemos fazer por Ele. Não tem grandes argumentos, nem explicações complicadas... é assim porque é!
    Estes EE foram para mim um momento muito especial de encontro com Jesus, de poder ver o que se pode fazer no coração das pessoas quando elas deixam que Ele se passeie livremente neste jardim... e com este grupo de jovens foi uma enorme consolação ver como a força da vida e o desejo de ser grande no Amor pode mudar tanto uma pessoa... faze-la verdadeiramente especial!
    Agradeço a este grupo fantástico este experiência, pela confiança, pela amizade e pelo que me ensinaram!

    23 agosto 2006

    Flores para a alma

    2comentários

    Não sei se sabem, mas aqui em Roma vivo no Collegio del Gesù, que é uma casa onde vivem jesuítas de todo o mundo e que estudam Teologia. Nesta casa viveu e morreu o fundador dos Jesuítas, Santo Inácio de Loyola. Temos tido a sorte de celebrar a Missa todos os dias no quarto onde morreu Inácio, que agora é uma capela. Mas ainda voltarei a falar disto... =)

    Na homilia de ontem, o padre que celebrou citou este provérbio oriental: "Se tens dois pães, um dá-lo a um pobre e o outro vende-o, e compra flores para a tua alma".

    Outro modo de dizer é que "há mais alegria em dar do que em receber", ou "vende o que tens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu".

    E todos temos a certeza de que as coisas são mesmo assim... e, no entanto, custa-nos dar as nossas coisas. Deus olha sempre para o que agora somos e temos, mas olha sobretudo para aquilo que podemos vir a ser e a ter... porque é que os nossos olhos se fixam tanto nas nossas mãos fechadas e não se atrevem a levantar-se para aquilo que poderemos ser e ter quando as tivermos vazias?

    Porque acredito mesmo que um coração cheio nos leva mais longe que mãos carregadas de coisas para nós, por mais bonitas que sejam.

    22 agosto 2006

    E se....

    3comentários

    E se um dia fossemos verdadeiramente capazes de perceber aquilo que podemos fazer uns pelos outros! Olhar para nós mesmos como o maior dom que Deus faz a sua criação, porque quer que este mundo seja verdadeiramente como a Sua casa.
    Perceber isto obriga-nos a sermos tão agradecidos... E cada vez que estamos diante de alguém, vemos ali um sonho e projecto, desde sempre e para sempre.
    Por isso, só o facto de estarmos vivos, aqui e agora, abre diante de nós um caminho que faz possível tocar o sonho de Deus com as nossas mãos e amá-Lo de todo o coração.

    Dedico o meu blog a todos os sonhos que toquei e a todos os que me tocaram =)

    Para sempre

    2comentários
    Ouvia-se a música…. E era tudo tão diferente! Como se um raio de luz de repente tivesse feito chama no coração do mundo. Trouxe recordações tão profundas e já escondidas do quarto da minha memória. Como quando alguém me levava a passear ao jardim e ouvia o canto dos pássaros. No dia em que tudo começou… em que se disse faça-se! Mas hoje era diferente. Talvez porque a luz era outra… ou o som, não sei.
    Estava ali presente, a Presença de quem me habita sempre, porque se descobre pouco a pouco, com passos tão sempre inseguros, que chegava a hora de dizer um sim absoluto, sem nada a que me agarrar, a não ser uma esperança muito firme. É estranha, esta Esperança, confiar naquilo que se não vê, como uma mão que me segura e ao mesmo tempo me deixa livre. Esta presença contínua e tão difícil de descortinar, tão próxima e ao mesmo tempo tão difícil de olhar.
    Talvez porque dar-me conta daquela presença fosse o primeiro passo de que hoje sou amado e esperado, como sou…. Sempre e para sempre. E, aos poucos, vão-me caindo as escamas dos olhos e as coisas bonitas a que me habituei. Uma a uma, foram desaparecendo… trouxeram medo, angústia, foram-se perdendo dentro de uma luz cada vez mais nova, ao som de uma música cada vez mais próxima.
    E encontrei-me ali, sozinho, sem nada, no vazio de um salto de luz, perdido num deserto sem sombras… e continuei o caminho, seguro do Nada, seguro daquela presença invisível, seguro de um fim de caminho sempre possível… No fundo, pensava que o Essencial é tão linear, que não vale a pena estar a gastar-me com questões, de quando, como, a que hora, de que modo… Apenas ser possível dizer Sim ao meu Futuro, dizer Sim à minha Vida, dizer Sim a Jesus. Chegar ao único caminho que é o único que me abre todas as possibilidades. De um caminho feito de liberdade e entrega, de medos e cansaços…
    Porque temos medo do definitivo? Porque temos medo de ser verdadeiramente grandes? Quando é que poderemos perceber que não somos daqui? Quando é que somos somente… no mais autentico daquilo que é o mais radical, desde o primeiro grito da Vida? Viver para o único, viver no Amor, para Amar… ser amor, simplesmente… sem mais perguntas do que ir vivendo o dia como a graça mais preciosa que me foi dada… e seguir sempre na confiança…
    A fé na esperança de uma Presença de Amor… É difícil chegar a isto… é mais difícil começar a partir daqui… mas o Eterno que nos faz tem todo o tempo do mundo… cada olhar confiante num Futuro tocado com mãos amorosas já é pressentir a luz de que somos feitos, desde o início… para sempre.
     

    Cidade Eterna © 2010

    Blogger Templates by Splashy Templates